Sobre o Jornalismo e a Virgindade*

Não sei se tem alguma relação. Mas, formatura me remete à maturação, maturidade, amadurecimento.Como pode um -homem formado-, que é profissional da saúde há mais de 15 anos, que tem família formada... como pode um homem desses ainda ter espaço para maturação?Oras... pode!

Quando me deparei com minha turma de Jornalismo, estranhei.Tinha menininhas novas que não sabiam (e talvez não saibam!) o que queriam da vida, tinha intelectuais tão avançados que o Jornalismo sequer merecia, tinha gente que queria dar novos rumos à vida. Me chateei. Imaginei que não teria turma para fazer trabalhos, que não faria nenhum amigo no interstício da Universidade. Aos poucos, fui descobrindo um engano, um feliz engano.

Como Dom Quixote e Sancho Pança, fomos enfrentando os nossos moinhos de vento. Eles surgiam cada vez mais intransponíveis e que bom era vê-los surpreendentemente ultrapassados e com isso ser coroado com o aprendizado.Os devaneios de uma faculdade de Jornalismo podem ser muitos, podem ser absurdos, engraçados, bizarros, tristes.... mas todos colaboram sobremaneira na nossa formação. É uma pena perceber apenas "pós-tudo" o quanto esses devaneios são importantes (Será mesmo uma pena? Não. Pena, é não perceber).

Marcos Rogério de Freitas,fico imensamente feliz de termos ingressado "virgens" na Faculdade de Jornalismo da Universidade de Uberaba e de sairmos ainda mais "virgens". Descobrimos como é delicioso ser virgem! A virgindade é uma discussão elevada. Guarde-a com cuidado. Não permita que NINGUÉM a rompa! Segure, amarre, segure a virgindade!

Obrigado pela fiel companhia nesses anos.Tudo foi muito melhor, mais fácil e mais difícil porque estivemos na mesma equipe. No salão de nobres eventos da ABCZ, quando tocares o canudo... mantenha-se virgem!

Amigo,em razão da formatura coincidente da minha colega de BAND, não poderei entregar a você o afago merecido na ocasião de amanhã, mas isso não tardará. Queira fazer a gentileza de não desaparecer. Comece a beber uma cerveja, bem de vez em quando, isso é um conselho de amigo, e quando fizeres, me convide.

Encerro com uma frase clichê que li em um desses nicknames de MSN, acho que cabe."O importante não é ter um rolex. O importante é não ter hora!"

Com a admiração e o afeto do amigo...

Jota.

*Email remetido ao meu amigo Marcos Rogério de Freitas (@marcosrogeriofr) por ocasião da formatura dele em 23 de julho de 2010.

Comentários

Jaki disse…
Oi Josuá!
Confesso que quando eu cheguei à sala de jovens que também queriam seguir a profissão que escolhi, não tive uma boa impressão...
Mas aos poucos, fui percebendo o verdadeiro sentido de “ser jornalista”... cada um a sua maneira, com sua mania, porém todos com o mesmo idealismo.
Gosto disso, gosto de discutir isso!
Quanto ao seu texto, ficou muito bem exposto o que talvez esteja no pensamento de cada foca, de cada formando. Porém, só você soube como melhor expressar
Parabéns!
Continue dando espaço a esse tipo de discussão!
Jaki Barbosa